sexta-feira, 23 de setembro de 2011

lady at the bus stop

a good place to meet strangers
Um título desses pode nos remeter, mentalmente, à alguma senhora simpática e delicada, talvez singela, que eu tenha conhecido no ponto de ônibus e que, de alguma forma, me cativou a ponto de escrever um texto sobre ela. Não nesse caso.

Eu já havia dito aqui que não devemos falar com estranhos unless they're hot a menos que eles falem conosco

Com o tempo eu revi essa "regra" e decidi ser mais desencanada em relação a isso, afinal, qual o problema? É só um estranho. Provavelmente não o verá novamente, comentarão algo sobre o clima e ficará por isso mesmo. E enquanto eu escrevia isso aqui, eu percebi que na verdade eu não revisei essa regra droga nenhuma, porque eu não saio por aí falando com estranhos a menos que eles realmente falem comigo. E, quando falo com eles, é porque preciso de alguma informação, mesmo.

Em todo caso, não me importo muito ou sempre que um estranho me aborda na rua. Façam aqui vocês as suas ressalvas (se estou na tpm, se estou com pressa, se estou triste, se tenho TOC, se tenho medo etc.) porque eu não darei conta de abranger todos motivos pelos quais alguém não gosta de ser abordado por desconhecidos na rua.

Mas enfim, essa senhora merece destaque tanto pelo desprendimento dela em falar com estranhos quanto à capacidade de tratar de diversos assuntos desconexos em pouco tempo, além da presunção de intimidade, como segue:

- Ow, psiu! Tenho um neto lindo igual esse menino aqui (indicando o rapaz que estava sentado ao seu lado)! É sim! Meu neto é bonito que nem ele! Vou te apresentar pro meu neto, pra você namorar com ele! Eu tenho três namorado! Um pra de manhã, um pra de tarde e um pra de noite! Hé-hé!
- Eu tava no médico, tenho muita queimação, gastrite, sabe? Você tem queimação, dor no estômago? Eu tenho! Mas consegui 100 comprimido de graça! Olha que bom!
- Mas nossa, como você é linda! Moça, você é muito bonita! Tinha que se candidatar a miss!  Tinha só que ganhar mais altura e perder um pouco peso, que tava ótimo! E aprender 10 línguas! Eu sei falar italiano, inglês, francês, sei falar filha da puta em árabe! É, eu sei! Filha da puta em árabe! Hé-hé!

[demonstrou seu conhecimento nos idiomas...]

- Mas sério, você é muito bonita, tem traços muito bonitos, não tem (perguntando pras pessoas do lado)?

[chega uma mulher com uma criança e senta do lado dela, que abre espaço]

- Você não quis sentar, né, fia? Pode sentar no meu colo! Como se fosse minha filha! Não tem problema! Não qué? Os correios tão em greve! Dia 20 os bancos vão tudo entrar em greve! Ih, a coisa só vai piorar! Com a COPA, então, aí só vai dá problema!

Ela só parou de falar comigo quando entramos no ônibus, e logo foi dizendo ao motorista:


- Sonhei com você! Eu tava dando um monte de beijo em você! Hé-hé!


Depois disso eu parei de escutar. Não é como se meu dia pudesse ficar mais estranho que isso. A não ser por outra mulher que, pouco depois, teve convulsão na minha frente, na rua (e que eu parei pra ajudar, obviamente), e também pela maquiagem medonha de uma atendente de uma loja de cosméticos. Sério, era cabulosa.

4 comentários:

Dani Pimenta disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA, sempre encontro todo tipo de gente no bus que presume intimidade pq senta do lado e tbm pq tenho cara de posto de informação, mas essa senhora hein, vergonha alheia modo hard, hahahaha, ai ai. ;D

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkk... a próxima que encontrar e ficar falando desse jeito contigo, chame logo o SAMU para eventuais convulsões...

Ana disse...

Imagine, foi o ponto alto do meu dia, velhinha mó simpática!

E não foi ela que teve convulsão, foi outra. Agora que eu vi que parece que foi ela, mas não foi ; )

João disse...

Melhor tipo de estranho conversador é esse, o que agrega mais pessoas a conversa. Tipo "você tá gordinho" e aí vira pra duas estranhas e fala "ele tá gordinho, não tá?". Muito amor mesmo.